31.10.15 - Notícia: Documento Portfólio da Inovação foi entregue oficialmente ao diretor de Farmanguinhos

RedesFito em Foco - nº 8 - outubro/2015

O Núcleo de Gestão em Biodiversidade e Saúde do Instituto de Tecnologia em Fármacos-NGBS entregou oficialmente (29/09/15) ao diretor do Instituo, Hayne Felipe, o documento “Portfólio Nacional de Inovação em Medicamentos da Biodiversidade: uma contribuição do Núcleo de Gestão em Biodiversidade e Saúde para as políticas de Ciência, Tecnologia, Inovação e Saúde em tempos de sustentabilidade”. O diretor da Unidade comprometeu-se com os integrantes do NGBS a organizar uma comissão para a entrega do documento ao Presidente da Fiocruz, Paulo Gadelha, que fará o encaminhamento via FIOCRUZ aos Ministérios da Saúde e Ciência, Tecnologia e Inovação.

O documento descreve um panorama para as políticas de ciência, tecnologia, inovação e saúde, justificando um novo caminho para o desenvolvimento de fármacos e medicamentos no Brasil. O trabalho em rede (RedesFito) realizado a partir de Arranjos Eco Produtivos Locais (AEPL) identificados nos principais biomas existentes no território nacional permite a formulação do projeto denominado Portfólio Nacional de Projetos de Inovação em Medicamentos da Biodiversidade.

Hayne Felipe parabenizou o NGBS pelo trabalho que vem exercendo, nos seus dez anos de existência e destacou a importância da iniciativa ao receber o portfólio de inovação. Segundo Hayne a contribuição do NGBS é fundamental para buscar alternativas de terapias usando a biodiversidade, não somente fazendo a extração, mas desenvolvendo ali uma molécula que seja sustentável no seu projeto por inteiro. Ao receber o portfólio, vamos fazer agora os encaminhamentos à Presidência da Fundação e continuar na nossa luta. Vamos agora apresentar este trabalho à Fiocruz, e traçar um plano de ação para que a gente possa, quem sabe, chegar ao que almejamos. Ou seja, que possamos chegar a mais fitoterápicos”, destacou.

O coordenador do NGBS, Glauco Villas Bôas, explicou que o Portfólio de Inovação da Biodiversidade é uma construção na qual foram usados elementos de várias frentes. De acordo com o coordenador, o documento foi construído pelos atores regionais, o que é totalmente inovador, já que que não vem do Ministério para baixo, pelo contrário, trata-se de uma proposta da sociedade para cima, mostrando de que forma pode contribuir. É também uma contribuição que se coloca numa política de sustentabilidade, tema que está mundialmente em pauta.

Em relação ao cenário político atual, em meio à crise econômica e à situação climática pela qual o Brasil atravessa, Villas Bôas acredita que iniciativas como a do NGBS deveriam ser melhor aproveitadas. “Medidas de ciência e tecnologia deveriam ser adotadas diante das crises econômica e climática. No meio desta discussão, surge a proposta do portfólio, que é uma proposta concreta, com uma vertente de P&D como alternativa de inovação a partir da biodiversidade”, destacou o coordenador.