30.06.20 - Notícia: Pesquisa aponta que extrato de própolis pode ser eficiente contra a covid-19

30/06/2020 

Valor Econômico / Site - Jornalista: Rafael Walendorff

Um estudo em desenvolvimento no Brasil pretende verificar os efeitos do uso do extrato de própolis no tratamento da covid-19. Dados preliminares apontaram resultados positivos com a utilização do produto em pacientes infectados com o novo coronavírus. Um projeto de lei apresentado na Assembleia Legislativa pretende desonerar a compra da substância e a indústria apícola aposta na divulgação e nos incentivos associados à descoberta para aumentar a produção.

O estudo é realizado pelo médico nefrologista Marcelo Augusto Duarte Silveira em parceria com Andresa Berretta, presidente da Abemel (Associação Brasileira dos Exportadores de Mel), farmacêutica responsável e gerente do Laboratório de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação da Apis Flora de Ribeirão Preto (SP).

Berretta explica que o extrato de própolis tem propriedades anti-inflamatórias e imunomoduladoras, relevantes no combate à covid-19. A substância seria capaz, por exemplo, de inibir a proteína PAK1, cuja ativação anormal provoca inflamações e infecções como a causada pelo novo coronavírus, de acordo com publicações científicas recentes.
O projeto piloto terá 120 pacientes internados e testados positivos para a covid-19. No momento, 83 pacientes já estão em estudo. A previsão é que os dados sejam apurados até o final de julho”, afirma.

O deputado estadual Frederico d’Avila (PSL) protocolou na Assembleia Legislativa de São Paulo o projeto de lei 328/20, que isenta da incidência do ICMS as operações relativas à aquisição dos produtos naturais própolis e extrato de própolis. O objetivo, segundo o parlamentar, é tornar a compra da própolis mais democrática e aumentar a acessibilidade da população aos produtos.

Dados do Ministério da Agricultura mostram que o Brasil exportou mais de 30 mil toneladas de produtos apícolas em 2019, negócios de quase US$ 76 milhões. Segundo a Abemel, o setor primário apícola produziu 41 mil toneladas de mel no ano passado e movimentou R$ 328 milhões.