17.11.15 - Notícia: Pré- testes com droga da USP devem começar em 7 meses

17/11/2015 

O Globo  -  Jornalista: Renata Mariz

O governo estima em sete meses o prazo para realização de estudos pré- clínicos ( in vitro e em animais) da fosfoetanolamina, substância que era distribuída pela Universidade de São Paulo ( USP), por força de decisões judiciais, para supostamente tratar câncer. Uma corrida de pacientes terminais às cápsulas, ainda sem comprovação científica, levou os ministérios da Saúde e da Ciência e Tecnologia a montar uma força- tarefa para pesquisar a eficácia e, principalmente, a segurança da substância.

O ministro da Ciência e Tecnologia, Celso Pansera, anunciou ontem a liberação, em até 15 dias, de R$ 2 milhões para o início dos estudos, que contarão com a participação do Laboratório de Avaliação e Síntese de Substâncias Bioativas da Universidade Federal do Rio de Janeiro ( UFRJ), do Núcleo de Pesquisa e Desenvolvimento de Medicamentos da Universidade Federal do Ceará, e do Centro de Inovação e Ensaios Pré- clínicos, uma organização da sociedade civil de interesse público apoiada pelo governo.

Depois dos testes pré- clínicos — que duram em média dois anos mas serão apressados —, os pesquisadores avaliarão se é possível prosseguir a parte clínica dos estudos, com humanos. A principal questão a ser respondida, nesse primeiro momento, é se a fosfoetanolamina é tóxica ou, de alguma outra forma, faz mal à saúde.