01.06.16 - Notícia: Anvisa questiona declaração de dirigente da FioCruz

01/06/2016

Ascom

O diretor-presidente da Anvisa, Jarbas Barbosa, pede posicionamento público da Fundação Oswaldo Cruz (FioCruz) sobre a declaração do vice-presidente de Pesquisa e Laboratórios de Referência do órgão, Rodrigo Stabeli, para a revista Época desta semana.  Em matéria intitulada “Teste triplo. Trapalhada tripla”, a revista atribui a Stabeli a seguinte afirmação: “deve ter havido pressão sobre a Anvisa para fazer o teste da FioCruz passar pela aprovação. Com isso, empresas continuam ganhando ao vender para o ministério”.

Em ofício encaminhado para o presidente da Fiocruz, nesta terça-feira, 31, Barbosa manifesta profunda indignação ao teor das declarações.  Além disso, afirma que “a acusação de pretenso favorecimento por parte da Anvisa às empresas privadas atenta contra a honra e a conduta ética de nossos servidores e dirigentes. Sem qualquer base em fatos, essa descabida acusação parece, tão somente, servir de pretexto para justificar atrasos em relação ao desenvolvimento do produto”.

Barbosa defende que a Anvisa não pode ser responsabilizada por esses atrasos, pois a Agência tem priorizado a análise de todos os pedidos de registro de teste de diagnóstico para o vírus Zika, por se tratar de uma questão de emergência de saúde pública.  No documento, o diretor-presidente da Anvisa também destaca que o relacionamento institucional entre os dois órgãos tem sido de alto nível, “como é esperado de duas organizações desse porte, que contam com reconhecimento internacional em suas áreas de atuação”.

Por fim, Barbosa reafirma que a Anvisa tem prestado informação e orientação técnica à FioCruz, sempre que solicitada.

Confira o Ofício nº 144/2016-DP/Gadip/Anvisa encaminhado para a Fiocruz